Declaração de Eike Batista, um dos alvos da Arquivo X, levou Mantega à prisão

  

O ex-ministro da Fazenda Guido Mantega

BRASÍLIA — Além do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, que foi preso temporariamente em São Paulo, o empresário Eike Batista é um dos alvos centrais da 34ª fase da Operação Lava-Jato deflagrada na manhã desta quinta-feira, batizada de Arquivo X. Como adiantou o blog de Lauro Jardim, uma das 48 ordens judiciais cumpridas pela Polícia Federal é um mandado de busca e apreensão realizado nesta manhã na sede da empresa OSX, no Rio de Janeiro.

 

Em depoimento ao Ministério Público Federal, Eike Batista declarou que recebeu pedido do então ministro e presidente do Conselho de Administração da Petrobras, para que fizesse um pagamento de R$ 5 milhões para o Partido dos Trabalhadores (PT).

 

Em seu depoimento à força-farefa, o empresário disse ter feito um depósito de US$ 2,3 milhões no exterior para as contas de João Santana e Monica Moura. Ele assumiu o pagamento depois que O GLOBO revelou que Moura relatou o mesmo à força-tarefa, durante tentativa de delação premiada.

 

Para operacionalizar o repasse da quantia, o executivo da OSX foi procurado e firmou contrato fictício com empresa ligada a publicitários já denunciados na Operação Lava-Jato por disponibilizarem seus serviços para a lavagem de dinheiro oriundo de crimes. Após uma primeira tentativa frustrada de repasse em dezembro de 2012, em 19 de abril de 2013 foi realizada transferência de US$ 2,35 milhões, no exterior, entre contas de Eike Batista e dos publicitários.

 

A Polícia Federal também fez buscas em endereços das empresas Kriadon, Conceito, JCIS e RT. Elas estariam em nome de Júlio César Oliveira Silva, suposto operador de pagamentos de propina em nome de Eike e da Mendes Júnior. Segundo investigadores, as empresas simulavam prestação de serviços para fazerem pagamentos ilegais no esquema de corrupção da Petrobras.

 

Em recuperação judicial, a OSX é investigada por irregularidades em um consórcio com a construtora Mendes Junior. As empresas ganharam um contrato para fazer duas plataformas para a Petrobras, a P67 e a P70, mas o contrato foi repassado aos chineses da Offshore Oil Engenieering Corporation em 2015.

Guido Mantega foi preso temporariamente pela manhã na entrada do hospital onde ele acompanhava uma cirurgia da mulher.Agentes da Polícia Federal também cumpriram mandado de busca e apreensão na casa do ex-ministro.

Fonte: http://extra.globo.com/noticias/brasil/declaracao-de-eike-batista-um-dos-alvos-da-arquivo-levou-mantega-prisao-20157287.html#ixzz4L02QoyuU

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *